domingo, 6 de julho de 2008

NARRATIVAS MITOLÓGICAS, FILOSÓFICAS E RELIGIOSAS




O sagrado é muitas vezes citado pelos mitos e as relações entre os seres e o mito é feita por ritos. O mito narra como Seres Sobrenaturais criam uma realidade que passa a existir. Mitos revelam sua atividade criadora em suas obras.
Sendo o mito também sagrado, ele conta “histórias verdadeiras” e se refere a realidades vividas por pessoas. Mitos cosmogônicos são “verdadeiros”, pois o mundo aí está para comprová-los.
O mito, nas civilizações primitivas era indispensável e exprimia crenças, impunha valores morais, e oferecia regras para a orientação do homem.
Na cultura judaico-cristã sobre a Origem do Mundo, este foi criado pela ação de Deus:
- O mundo foi feito em seis dias, sendo o 7º dia para o descanso: 1ºdia: a Luz é criada; 4ºdia: são criado os astros e as estrelas; no 6ºdia: são criados os animais domésticos e o ser humano. No 7ºdia: o Criador abençoa a criação e descansa.
O próprio mito dita um ritmo de tempo, onde o trabalho também é uma criação de Deus, então, devemos trabalhar 6 dias e descansar um.
Outros mitos cosmogônicos buscam explicar a origem do universo. Na antiga Babilônia, o mito de Enuda Elish, fala sobre Marduk, a divindade protetora, e como o ser humano foi criado pelos deuses.
O mito do Ovo Cósmico na China relata um período em que só havia o caos que estava dentro de um ovo, onde estavam os princípios fundantes Yin e Yang, masculino e feminino, que entram em conflito, quebram o ovo e daí surge Pan-Gu, o primeiro ser, que tinha a missão de manter o céu e a terra separados. Exausto, Pan-Gu morre e, de suas pulgas, nasceram os seres humanos.
Na Grécia, o Cosmos surge de elementos preexistentes.
As convicções profundas de determinada cultura fazem com que o mito, como linguagem humana, seja sempre veículo da expressão do povo e de suas crenças.
Um dos mais populares mitos, o da maçã, é usado na Bíblia, porém esta não fala de maçã, e sim de fruto proibido (Gn 3,1-6). Então de onde surge a maçã? Entre os mitos gregos, há o seguinte: Em uma festa de casamento no Olimpo, Érida, a deusa da discórdia, mandou uma maçã de ouro às convidadas com a inscrição “para a mais bela”, o que criou rivalidade entre deusas. Em um mito escandinavo, a deusa Idun tinha posse da maçã da imortalidade e aquele que a comesse se tornaria um deus. Loki, pai da mentira, podia assumir a forma de uma serpente, atraiu Idun para as arvores na floresta e lhe roubou a maçã, então os deuses perderam seu poder de imortalidade. Os Celtas, na Bretanha, acreditavam que a ilha de Avalon era o jardim das maçãs. Quem lá entrasse e provasse do fruto se tornaria imortal.
O mito é contemplativo e a filosofia aparece questionando o mito. A Filosofia passa a ser uma reação intelectual para o caos que ameaça a inteligência e a vida.
Não somos apenas seres pensantes e agimos no mundo, nos relacionamos com outros humanos, com a natureza, coisas, presenciamos e causamos fatos, demonstramos e interagimos pela linguagem, gestos e ações.
A filosofia e as reflexões filosóficas estão diretamente ligadas à realidade, a tudo que nos cerca, a aquilo que pensamos e dizemos, e em todas as ações que temos nas relações com o mundo.
Podemos organizar a reflexão filosófica em conjuntos de perguntas, como: O que pensamos, dizemos e fazemos? O que queremos pensar e de que forma e o que dizemos a partir daí? Qual a finalidade do que pensamos e dizemos?
E as perguntas, podemos resumir em: O que é pensar? O que pensamos conseguimos transformar em verdade e conhecimento?
Basicamente, questionamos a essência, o significado, a origem e a estrutura das coisas.
A reflexão que podemos e devemos ter, sobre o por que, o que, norteando nossos atos de pensar devem ser perguntas sobre a capacidade e finalidade do homem em obter conhecimento e ter atitude.
Filosofia é um pensamento sistemático com indagações fundamentais que não ocorrem ao acaso graças às nossas preferências e opiniões. Não é um "eu acho" ou "eu gosto".
A Filosofia trata de enunciados com precisão e rigor, procurando seqüência lógica obtida com método demonstrativo e prova, precisando de fundamentação racional. Assim, busca visão crítica de si mesma, substituindo o "eu acho que" por afirmações do tipo "eu penso que".
A Filosofia busca questões próprias válidas que exigem respostas válidas, verdadeiras, relacionadas entre si, que sejam demonstradas e provadas racionalmente.
Graças à filosofia e ao desenvolvimento da ciência em geral, temos hoje a possibilidade de apreciar descobertas científicas que vão desde Copérnico dizendo que a Terra gira em torno do sol à criação do mundo compreendendo o evento do Big-Bang, que é a teoria científica onde o universo emerge de um estado extremamente denso e quente há cerca de 13,7 bilhões de anos, baseada em observações científicas que mostram que o universo continua a se expandir.

Um comentário:

Cristiano R. Cunha disse...

Gostei muito do texto! Diz muito sobre a finalidade da filosofia enquanto algo 'palpável' conseguido através do desenvolvimento de um pensamento próprio e seu estado anterior - a aceitação dos mitos - que tem gerado (e gerou) algumas das maiores injustiças no mundo.
De um lado a ação, do outro a inércia. Concordo: o conhecimento uma vez adquirido (e sempre deve ser questionado mesmo aqueles que possam parecer definitivos) precisa ser agregado em nossas atitudes! Perfeito!! Grande abraço, Tadziu! : )